| A Torá Oral | Todo o Michnê Torá | Glossário |
| cp 1 | cp 2 | cp 4 | cp 5 | cp 6 | cp 7 | cp 8 | cp 9 | cp 10 |

Nota importante sobre o capítulo

Capítulo 3


, ; -- , , , , , , , , . 1 As esferas astrais - são os chamados céus e firmamento, e zevul e 'aravôt - e são, ao todo, nove. (veja os planetas) A mais próxima a nós é a esfera na qual se encontra a lua, sendo a segunda, [logo] acima desta, a esfera na qual encontra-se mercúrio, a terceira após - a esfera na qual acha-se vênus. A quarta esfera, nela acha-se o sol; na quinta esfera, está marte; na sexta, júpiter; na sétima - saturno; na oitava, todos as demais astros que se vêem no firmamento. A nona esfera, é aquela que todos os dias move-se do oriente para o ocidente.

. , ; . 2 É a que está em torno de tudo e circunda a tudo. Quanto ao vermos todos os astros como que se estivessem na mesma esfera, apesar de haver entre eles alguns mais acima que outros, dá-se pelo fato de serem os astros puros e límpidos como o vidro ou como a safira, pelo que são vistos os astros que se encontram na oitava esfera como se estivessem abaixo da primeira.

[] , : , . , . 3 Cada uma das oito esferas nas quais se acham os astros subdividem-se em várias esferas - uma acima da outra, assemelhando-se aos invólucros das cebolas, algumas delas movimentam-se-se do oriente para o ocidente; outras, do ocidente para o oriente. Entre elas, contudo, não há espaço vazio.

[] , . ; , , . , . 4 As esferas não dispõe de peso [e são incolores,] não tendo nem cor preta, nem rubra, nem qualquer das demais cores. O vermos [as esferas] com cor "tekhêlet" (*) dá-se simplesmente por erro óptico, de acordo com a posição espacial elevada. Tampouco dispõem de sabor ou de olor, porquanto tais encontram-se apenas nos corpos que são inferiores a elas.

[] -- , . , ; , . 5 Todas estas esferas contornam o mundo todo, sendo elas arredondadas como uma bola, e o [Planeta] Terra em seu centro pendente. Possuem alguns dentre os astros pequenas esferas nas quais se fixam. Tais esferas não circundam a Terra, senão giram em torno de [outra] esfera pequena que não se move em torno de nada, fixando-se numa maior que, [por sua vez,] é envolvente.

[] , ; , . , , , . , . 6 O número de esferas que contornam a Terra - dezoito. A quantidade de pequenos astros que não a contornam, oito. E, do caminho percorrido pelos astros e do conhecimento do tempo de seu contorno a cada dia e a cada ano, bme como de sua entornação para o norte ou para o sul, e de sua elevação relativa à Terra, ou sua proximidade, dá-se a saber a quantia destas esferas, sua forma de movimento e modo de contorno. Esta é a sabedoria de cálculo das épocas e das constelações (astronomia), sobre a qual escreveram muitos livros os sábios da Grécia.

[] -- , ; -- , , , , , , , , , , , . 7 A nona esfera - que contorna tudo - dividiram-na os sábios da antiguidade em doze divisões, a cada uma chamando por um nome de acordo com a forma que se veja nela dos astros que se encontrem abaixo dela. São as constelações, cujos nomes são: Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário, Peixes.

[] , , , . 8 Quanto à nona esfera, nela não há nem divisões nem formas destas [citadas acima], nem astros, senão na intercalação dos astros que se acham na oitava esfera é que ver-se-ão nos grandes astros que nela se encontram a forma destas figuras, ou aproximadas.

, , ; , , , . , . 9 Estas doze formas [imaginárias] jamais estiveram alinhadas, a não ser quando ocorrera o dilúvio, em cuja época foram dados a elas esses nomes [trazidos acima]; mas, nesta época [na qual nos achamos] já se desalinharam um pouco, pois os astros que se encontram na oitava esfera - todos movem-se, assim como o sol e a lua, só que o fazem pesadamente [ou seja, lentamente]. O espaço percorrido pelo sol durante um dia leva para qualquer um dos astros aproximadamente setenta anos.

[] -- , . , ; . , . 10 De todos os astros visíveis - há alguns que são pequenos, sendo a Terra maior que cada um deles; outros, qualquer deles é maior que a Terra várias vezes. A Terra é maior que a lua como quarenta vezes mais; o sol, maior que a Terra como cento e setenta vezes mais. [Portanto,] o tamanho da lua em relação ao sol é 1/6800 aproximadamente. Não há entre todos os astros um que seja maior que o sol, nem menor que Mercúrio, que encontra-se na segunda esfera.

[] , ; , . , . , . 11 Todos os astros são possuidores de alma, auto-comportamento e intelecto, possuem vida própria, subsistem e conhecem a Àquele que proferiu e o mundo se fez, cada um de acordo com sua grandeza e seu grau de elevação louvam e enaltecem a seu Formador, assim como os anjos. E, assim como conhecem ao Santo, Bendito é Ele, conhecem a si próprios, bem como aos anjos, que encontram-se acima deles. Porém, é o conhecimento [da Divindade] dos astros e esferas menor que o dos anjos e maior que o dos seres humanos.

[] , ; , . . 12 Criou Deus abaixo da esfera lunar determinado elemento que não se assemelha às demais esferas, e criou quatro formas para o tal elemento, e não é como a forma das demais esferas. Determinara-se toda forma física a partir deste elemento.

, ; , ; , ; , . 13 A primeira forma - a forma ígnea - foi formada a partir deste elemento, e da união entre ambos formara-se o fogo. A segunda forma - a forma aérea - unindo-se a parte deste elemento, dera origem ao ar. A terceira forma - a forma aquática - em união com tal elemento dera origem à àgua. A quarta forma - a forma térrea - em união com tal elemento originara o corpo terrestre.

, , . , ; , ; , ; , . , .

14 Existem abaixo do firmamento quatro elementos separados um do outro, um acima do outro, cada um circundando o que está abaixo de todos os lados, como uma esfera. O primeiro é o fogo. abaixo dele, o ar. Abaixo dele, a água. Depois dela, a terra. Entre eles não há espaço vazio de forma alguma.

[] -- , ; , . " -', ---, -. " ( ,-)-- , , , . 15 Tais quatro elementos não dispõem de alma, nem sapiência, nem conciência, sendo qual corpos inanimados. Cada um deles tem uma característica a qual desconhece, nem alcança sua compreensão, sendo incapaz de transformá-la. Isto é o significado do que foi dito por David: "Louvai a Deus desde a Terra - monstros, e todas as profundezas. Fogo e granizo..." - Sl 148:7,8. Quer dizer: "louvem-no os seres humanos por sua potestade vista no fog, no granizo e demais entes criados vistos abaixo do firmamento, cujo poder é sempre reconhecido, tanto para o pequeno como para o grande!"


| A Torá Oral | Todo o Michnê Torá | Glossário |
| cp 1 | cp 2 | cp 4 | cp 5 | cp 6 | cp 7 | cp 8 | cp 9 | cp 10 |