| Todo o Livro | Todo o Michnê Torá |Glossário |Voltar |

| cp 1| |cp 2| |cp 3| |cp 4| |cp 6| |cp 7| |cp 8| |cp 9| |cp 10 |


Las Leyes de los Fundamentos de la Torá

Capítulo Cinco

, ", " ( ,); , " , - " (). -- , : , " " ( ,)-- . , . 1 Toda a Casa de Israel está ordenada sobre o santificar a este grandioso Nome [de Deus], conforme esá escrito: "... santificar-me-ei no meio dos filhos de Israel..." - Lv 22:32 - e avisados em quanto à profanação, como está escrito: "...não profanareis a meu Santo Nome..." - (o mesmo). Como assim? - No momento em que levantar-se um gentio e force a Israel a transgredir um de todos mandamentos expressos na Torá, caso contrário o matará, deve transgredir e não ser morto, porquê está escrito acerca dos mamdamentos: "...que cumpi-los-á, e viverá por eles..." - Lv 18:5 - e não que morra por culpa deles. E, caso haja sido morto para não transgredir, é devedor por sua alma.
, -- , , . , , . 2 Em que caso? em todos os mandamentos, exceto idolatria, sexo ilícito e derramamento de sangue. Estes três preceitos, se for dito que caso não transgrida será morto, deve morrer e não transgredir.
, , . -- , -- ; -- , . 3 Em que caso? - no qual o gentio busca seu prazer particular, por exemplo, que obrigou-o a construir para si uma casa no Sábado ou a cozinhar seu alimento, ou forçou uma mulher a relacionar-se consigo, ou semelhantes. Mas, se o interesse do gentio for simplesmente de fazê-lo transgredir os preceitos - caso estiverem sozinhos os dois, não havendo ali dez pessoas do povo de Israel, transgrida e não seja morto, mesmo que não tenha tido a intenção a não ser de fazê-lo transgredir somente os demais preceitos.
[] , . , -- , , , . 4 Tudo o que foi dito que deve transgredir e não ser morto, trata-se do caso no qual não seja "cha'át chemad". Mas, tratando-se de "cha'át chemad" - que é o caso no qual se levante um rei ímpio como Nabucodonosor e seus amigos e decrete sobre Israel a anulação de sua Lei, ou de qualquer dos mandamentos dela, deverá morrer e não transgredir, mesmo que seja um dos demais preceitos [exceto os três citados em particular], seja sendo forçado diante de dez de Israel, seja estando ele sozinho com os gentios [que o forçam].
[] , -- . , -- . -- , ; , , "-, -; , " ( ,), "- -- , -" ( ,). 5 Todo o que sobre si está escrito que deve transgredir e não ser morto, caso haja sido morto para não transgredir - faz-se devedor por sua própria alma. E, todo o que sobre ele está escrito que deve morrer e não transgredir, caso haja morto e não transgredido - santificou ao Nome de Deus. E, caso dera-se o caso diante de dez pessoas do povo de Israel, santificou ao Nome de Deus em público, como Daniel, Michael e 'Azariá, e como Rabi 'Aqiba e seus colegas. São estes os "mortos pelo reino", que não há grau mais elevado que o deles, sobre os quais está escrito: "Por ti fomos mortos todos os dias, éramos como um rebanho para o abate!" - Sl 42:23 - e, sobre estes está escrito: "Reúnam para mim meus santos, que comigo fazem pacto no abate!" - Sl 50:5.
, -- , , ; , . , , , : , , , " - " ( ,; ,); , "" . 6 Todo o que sobre ele está escrito: "que seja morto e não transgrida", e transgrediu para não morrer, profanou o Nome de Deus, e caso haja sido o fato perante dez de Israel, profanou o Nome de Deus em público, e deixou de cumprir com um preceito positivo, que é o santificar o Nome de Deus, além de transgredir um mandamento negativo, que proíbe profanar o Nome de Deus. Apesar disto, por haver transgredido forçadamente, não incorre em penalidade de golpes de açoites, sendo desnecessário dizer que não incorre em pena capital pelo tribunal de Torá, e mesmo que haja assassinado à força. Não se castiga a não ser por transgressões voluntárias, sobre as quais hajam testemunhas e fora advertido antecipadamente, conforme está escrito acerca de quem der de seu filho a Môlekh: "Colocarei minha face naquele homem..." - Lv 20:3; 20:5. Através da "chemu'á" aprendemos: "aquele [homem]" - não forçado, nem inintencional, nem enganado.
, , , -- . , " - " ( ,). 7 Se idolatria, que é pesada mais que tudo, o que transgride forçado não incorre em carêt (morte espiritual), sem ser necessário dizer pena de morte por julgamento, quanto mais os demais preceitos citados na Torá. Quanto às relaçães ilícitas, está escrito: "Quanto á moça, nada a ela fareis..." - Dt 22:26.
[] , , , -- , . , , , -- , . , -- , , , ; -- , . 8 Mulheres às quais disseram gentios: "Dêem-nos uma de vocês para que a impurifiquemos, ou fá-lo-emos com todas vocês!" - sejam todas impurificadas, mas não entreguem a eles nenhuma alma de Israel. Similarmente, se disseram: "entreguem-nos um de vocês, para que o matemos; do contrário, mataremos a todos!" - sejam todos mortos, e não entreguem nenhuma alma de Israel. Mas, se disseram sobre pessoa determinada: "entreguem-nos fulano, para que o matemos; do contrário, mataremos a todos!" - se era um passível de morte, como chebá' ben-Bikhri, entreguem-no a eles. Porém, não se ensina isto decididamente. Caso não passível de morte, seja sejam todos mortos, e não entreguem nenhuma alma de Israel.
[] , . -- , . , : -- , ; -- , . 9 Tudo o que disseram acerca dos casos de forçados, valem também para os casos de enfermidades. Como assim? - alguém que adoeceu, e chegou próximo à morte, e disseram os médicos que sua cura depende de certa coisa que é proibida pela Torá, fazem para ele, [mesmo sendo algo proibido]. E cura-se por intermédio de todas as coisas proibidas pela Torá, em caso de risco de vida, exceptuando-se a idolatria, relações ilícitas e derramamento de sangue - que estes, mesmo em caso de risco de vida, permanecem proibidos, sendo proibido curar-se através deles. Caso haja transgredido, buscando curar-se através de uma destas proibições, é castigado pelo tribunal de Torá segundo o castigo que lhe cabe.
[] , : ", ' , - -, -" ( ,), . , -- , ; , " -, --, " ( ,). 10 De onde aprendemos que mesmo em caso de risco de vida não se transgride esses três preceitos? - pelo que está escrito: "Amarás a Ad' teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma e por todo teu poder!" - Dt 6:5 - quer dizer, mesmo que te seja quitada a alma. Quanto ao matar uma alma de Israel para salvar outra, ou para livrar de um compulsor, é algo racional que não se faz perecer uma vida em lugar de outra, e relações ilícitas foram conectadas aos casos de morte por assassinato, como está escrito: "... Pois, assim como quando se levantar um homem contra seu próximo, assassinando-o, assim também é isto!" - Dt 22:26.
[] -- , , , . , , , -- , : -- , ; , , . 11 Em que caso se diz que não se pode curar por meio dos demais casos de transgressões, a não ser em risco de vida? - nos casos em que for a forma de tirar deles prazer, como os que dão a comer ao enfermo insetos e répteis, ou ĥametz (fermentação de qualquer dos cinco cereais) no pêssaĥ, ou que fazem-no comer no dia da expiação (kipur). Todavia, caso não seja a forma de prazer, como os casos de bandagem feita com ĥametz ou com 'orlá (*), ou que fazem-no sorver cousas que são mescladas de algo amargo com algo proibido, no qual há prazer para o paladar - é permitido, mesmo que não haja risco de vida, exceto "kilê ha-kêrem"(*) e carne com leite, que são proibidos mesmo que não seja o modo normal de alimentar-se deles, no qual há prazer. Portanto, através destes não se cura, mesmo em caso de perigo mortal.
[] , -- , -- , : , . 12 Alguém que haja sentido atração por alguma mulher, pelo que ficou doente a ponto de morrer, e disseram os médicos que tal pessoa não tem cura enquanto ela não se deitar com ele (sexualmente), mesmo sendo ela livre (solteira ou divorciada, por exemplo), mesmo para que [somente] converse com ele (a sós) atrás de um cercado, não se ensina que isto se faça, para que não sejam feitas as filhas de Israel como "objeto desapropriado" [destinado para o uso de quem quiser], causando um caso assim que venha o acirramento das relações ilícitas.
[] , -- ; , " - , '" ( ,). , . , , , , , -- . 13 Todo o transgressor de qualquer dos mandamentos da Torá por ignominioso opróbrio e ignobilidade, por mera provovação, sem haver sido forçado, profana ao Nome de Deus. Por isto está escrito sobre o juramento falso: "... profanando o Nome de teu Deus, Eu sou Ad'" - Lv 19:12. E, caso haja feito assim perante dez judeus, este profanou o Nome de Deus em público. Assim também, todo o que deixa de realizar certa transgressão, ou cumpriu um preceito positivo sem interesse pessoal algum, nem por medo, nem por temor, tampouco buscando honrarias, senão unicamente por Deus, como fez o justo Iossef evitando sua transgressão com a mulher de seu senhor, este santifica o Nome de Deus.
[] , , , -- : , , , ; , ; , , ; . -- , . 14 Outras coisas há que fazem também parte do que é profanação do Nome de Deus: o caso de que faça uma pessoa grande em conhecimento da Torá e conhecido como uma pessoa santa coisas que levem as pessoas a murmurar sobre si pelas tais, mesmo não tratando-se de transgressões contra a Torá, são tidas como profanação do Nome de Deus. Por exemplo, se compra e não paga imediatamente, no caso que tenha como pagar, e venham os donos da dívida a cobrar e ele pede mais prazo. Ou, por exemplo, que seja exageradamente brincalhão, ou coma e beba com os indoutos em Torá, ou entre eles, ou se sua forma de falar não for branda com as pessoas em geral, e não receba as pessoas prazeirosamente, sendo homem de discussão e iracundo, e assim por diante. Tudo de acordo com a grandiosidade do sábio, sendo necessário que tenha cuidado consigo nos mínimos detalhes, fazendo mais do que deve pelo determinado na Torá.
, , , , , , , , , -- , -- , : , " , ---, - " ( ,). 15 Igualmente, se é o sábio meticuloso consigo mesmo, falando amavelmente com as pessoas, sabendo conduzir-se entre eles sem deles afastar-se, recebendo-os sempre com uma boa expresão facial, sendo ofendido por eles sem nunca devolver-lhes a ofensa e sem jamais ofendê-los, honrando mesmo aos que lhe faltam com o respeito, negociando fidedignamente, sem estar visitando ou assentando-se em companhia dos que são indoutos de Torá demasiadamente, sem que seja visto a não ser ocupando-se da Torá vestido com tzitzit e levando sobre si seus filactérios, agindo em tudo meticulosamente mais do que deve pelas normas da Torá - no caso de que não exagere nisto, causando o espanto no público, fazendo com que as pessoas elogiem-no e o amem, desejando imitá-lo, este santifica o Nome de Deus, e sobre este diz o escrito: "E disse-me: 'Tu és meu servo, ó Israel, no qual me glorifico!' " - Is 49:3.


| Todo o Livro | Todo o Michnê Torá |Glossário |Voltar |

| Capítulo 1| |Capítulo 2| |Capítulo 3| |Capítulo 4| |Capítulo 6| |Capítulo 7| |Capítulo 8| |Capítulo 9| |Capítulo 10 |
Alguma pergunta? Consulte-nos!