| Todo o Livro | Todo o Michnê Torá |Glossário |Voltar |

| cp 1| |cp 2| |cp 3| |cp 4| |cp 5| |cp 6| |cp 7| |cp 9| |cp 10 |


Leis de fundamentos da Torá

Capítulo 8

-- , : -- , . , -- : , . , . , . , . , . 1 Moisés, nosso mestre, não creu nele o povo de Israel pelos sinais que realizara, pois o que crê por razão dos sinais realizados - seu coração é imperfeito, sendo possível que os sinais hajam sido realizados por meio de mistérios [esotéricos] ou feitiço. Senão, todos os sinais realizados no deserto só foram por necessidade, não com a meta de trazer prova sobre a profecia. Precisou afogar os egípcios, abriu o mar e afundou-os nele; era-nos mister o alimento, fez descer-nos o man; quando tiveram sede (nossos pais) - rompeu para eles a pedra; levantara-se o conciliábulo de Coraĥ para fazer dele descrer, a terra os engoliu. Assim, também os demais sinais.
, : , , , -- . , ; : , -- . " , ' " ( ,), " -, ' - " ( ,). 2 Qual a razão pela qual creram em Moisés? - pelo acontecimento do Sinai - no qual nossos olhos mesmos viram, e não os de um estranho [que nos contasse, como ocorre nos demais credos], e nossos ouvidos ouviram, e não os de outros [para que necessitássemos ouvir de terceiros] - o fogo, os sons e os raios. E, ele [Moisés] entrava no meio da névoa, enquanto que a voz com ele falava, e nós, ouvindo: "Moisés! Moisés! Vai, diz-lhes assim e assim!" E, assim disse ele: "Face a face falou Deus convosco!" - Dt 5:4 - e, está escrito: "Não com vossos pais levantara Deus este pacto..." Dt 5:3.
, -- " , , - " ( ,): , , . 3 De onde sabemos que somente no acontecimento do Sinai está a prova inextricável da profecia de Moisés, na qual não há defeito? Pelo que está escrito: "Eis que Eu virei a ti no meio da nuvem, para que o povo ouça-me a falar contigo, e também em ti creiam para sempre..." -Ex 19:9. Entendemos que antes disto não creram nele por uma crença que perdure para a eternidade, senão por uma forma sobre a qual sempre há alguma cogitação [analítica] e um pensamento [duvidoso].
[] , , : , -- , . -- , . 4 Temos então que os mesmos para os quais foi enviado, eles mesmos são testemunhas de sua profecia que é verdadeira, sem que seja preciso realizar para eles sinal qualquer que seja, pois eles e ele são um só, como duas testemunhas que viram algo ao mesmo tempo, sendo cada um deles testemunha para seu companheiro que também este vira o fato, sem que necessite trazer prova um sobre o outro. Similarmente, Moisés, nosso mestre - todo o povo de Israel é testemunha sobre ele após o evento do Monte Sinai, sem que precise fazer para este povo sinal algum.
, , ", " ( ,): , , , " - " ( ,)-- , ; , , , . "- , : -, , -, " ( ,). 5 É isto o que dissera-lhe o Santo, Bendito é Ele, no princípio de sua profecia, ao dar-lhe os sinais que faria no Egito, dizendo: "Eles darão ouvidos à tua voz..." - Ex 3:18. Sabia Moisés, nosso mestre, que o que crê por intermédio dos sinais tem em seu coração defeito, cogitando e analisando, preferindo não ir, e dizia: "eles não me crerão..." - Ex 4:1 - até que Deus fê-lo saber que "estes sinais não são [para que creiam em ti] senão até saiam do Egito, mas que após a êxodo, quando estiverem neste monte, ir-se-ão deles todas as cogitações, que pensam acerca de ti, pois dar-te-Ei aqui um sinal pelo qual saberão que Eu te enviei verdadeiramente desde o princípio, sem que fique em seu coração cogitação alguma acerca de ti." É o que diz o escrito: "Ao tirares o povo do Egito, servireis a Deus neste monte..." - Ex 3:12.
, , , ; , , ", " ( ,): , ; , . 6 Subentende-se que todo profeta que se levante após Moisés, nosso mestre, não cremos nele simplesmente pelos sinais que realizar, para que digamos: "Se este fizer algum sinal, ouvi-lo-emos em tudo o que nos disser", senão pelo preceito que nos dera Moisés na Torá, dizendo que no caso de haver realizado algum sinal, "a ele ouvireis!" - Dt 18:15. Assim como nos ordenou a decidir o julgamento por duas testemunhas, apesar de não dispormos da absoluta certeza de que testemunharam veraz ou falazmente, também é o mandamento concernente ao ouvir tal profeta, seja a profecia veraz ou feitiço e esoterismo.
[] , -- ; , , , . 7 Portanto, todo o profeta que se levante, realize sinais e prodígios, e buscou desfazer a profecia de Moisés, nosso mestre, não se pode ouvi-lo, e nisto já sabemos claramente que todos seus sinais e prodígios foram efetuados por intermédio de magia ou feitiço, pois a profecia de Moisés nosso mestre não se tem seus fundamentos em sinais e prodígios para que possamos equiparar os sinais deste com os daquele, senão vimos o que vimos por nossos próprios olhos, e ouvimos por nossos próprios ouvidos, assim como ele mesmo (o dito "profeta").
: , -- , . 8 Aprendes disto que: a que se assemelha o fato? - A duas testemunhas que testemunham para um terceiro sobre algo que este vira por seus próprios olhos, dizendo não ser conforme vira - que [é claro,] não lhes dará ouvidos, pois sabe claramente serem falsas testemunhas.
, " , - " ( ,): , ; , , , . 9 Pelo que disse a Torá que [mesmo que] venha por sinal e prodígio, não ouvireis às palavras daquele profeta" - Dt 13:4 - pois este vem a ti por meio de sinais e prodígios para desfazer o que viste por teus próprios olhos, e nós não firmamos nossa fé em prodígios, senão no mandamento que nos fora dado por Moisés - como, então, aceitaremos sinal deste que vem desfazer a profecia de Moisés, a qual vimos e ouvimos?

| Todo o Livro | Todo o Michnê Torá |Glossário |Voltar |

| Capítulo 1| |Capítulo 2| |Capítulo 3| |Capítulo 4| |Capítulo 5| |Capítulo 6| |Capítulo 7| |Capítulo 9| |Capítulo 10 |
Alguma pergunta? Consulte-nos!